AnálisesTextos

Análise: F1 2020

O ano de 2020 vem sendo terrível para todo mundo, em meio a uma crise sanitária que afeta todos os campos de nossas vidas. Com o esporte, e especificamente com o automobilismo, não é diferente.

A Fórmula 1, evento mais famoso da categoria automobilística, sofreu diversos cancelamentos de corridas, dentre elas o tradicional GP do Brasil, que ocorre na cidade de São Paulo no autódromo de Interlagos.

E é nesse contexto que o game F1 2020, desenvolvido pela já experiente Codemasters, foi lançado em 10 de julho, trazendo ao mundo o que deveríamos acompanhar nesta temporada.

Diferentemente de jogos de outros esportes, como futebol ou basquete, que no ano corrente lançam o título referente ao ano seguinte (como por exemplo, o FIFA 2021 será lançado em 2020, sendo atualizado conforme as janelas do mercado de futebol) o F1 é lançado no mesmo ano da temporada que representa.

O grande lance dos games de F1 da Codemasters é a diversidade de configurações de jogabilidade, que permitem que todo tipo de público tenha acesso e consiga pilotar os bólidos, seja como um jogo totalmente arcade (basta habilitar as famigeradas assistências) ou que se torne o mais exigente dos simuladores (desabilitando tudo quanto é auxílio).

Nesta segunda situação, por exemplo, o jogador tem que ficar atento a todas as informações e opções que se encontram no computador de bordo do carro, isso tudo enquanto pilota velozmente pelas pistas e enfrenta seu adversários.

Como jogo com controle (queria muito um volante, mas ainda não rolou) escolho sempre um meio termo, para que minha diversão não seja prejudicada, seja por minha falta de habilidade ou por conta da ineficiência de usar um controle em jogos de corrida.

MODO MINHA EQUIPE E CARREIRA

F1 2020 traz algumas novidades em relação aos games anteriores. Podemos citar em primeiro lugar a mais relevante e divertida de todas, que é a inclusão de um modo em que você cria e gerencia sua própria equipe, além de ser um dos pilotos dela. Trata-se do modo Minha Equipe.

Aqui você é dono da mais nova escuderia da F1, tendo uma quantia bem restrita de grana para iniciar sua jornada. Como diz o velho poeta skatista Chorão “cada escolha é uma renúncia, isso é a vida”, você precisará escolher com cuidado seu patrocinador master, o segundo piloto a ser contratado e a marca de motor (Honda, Renault, Mercedes e Ferrari) a ser utilizado. Nesse primeiro momento é preciso abrir mão de algumas coisas para conseguir ter dinheiro para conseguir formar a equipe.

É possível escolher as cores da escuderia, com direito a logo e tudo, e também escolher as roupas e capacetes de seus pilotos.

A parte de gerenciamento é bem legal, abrange a evolução dos departamentos técnicos de sua equipe (cinética, durabilidade, etc) e a parte de marketing, que com no decorrer da temporada e o aumento da fama da equipe, será possível ampliar suas receitas com a contratação de novos patrocinadores e participação de eventos de publicidade. Isso permitirá que nas temporadas seguintes seja possível a contratação de um segundo piloto mais habilidoso, bem como adquirir melhorias de nas peças de seu carro.

Outra opção single player é o tradicional modo Carreira, sendo que aqui não é preciso cuidar da equipe, pois você é somente piloto. Você poderá iniciar pela Fórmula 2, lutando por uma vaga na Fórmula 1, ou iniciar direto na maior categoria.

Uma última novidade da edição 2020 me fez lembrar os saudosos jogos de corrida da década de 90: a tela dividida, sendo possível jogar com um amigo localmente. É algo pouco comum nos games nos dias de hoje, já que quase todo mundo acaba jogando apenas online com os amigos.

CARROS CLÁSSICOS

Uma das coisas mais legais da franquia F1 são os carros clássicos. Existem 2 modos em que se tem acesso a esses carros, o Showroom, em que você verifica as informações do técnicas e consegue ver os detalhes físicos do carro.

Já no Modo Grand Prix é possível correr com esses carros, fazendo com que a memória afetiva de muitos de nós venha à tona, afinal, fizeram história na categoria.
Segue a lista de carros clássicos (16 no total) inclusos na edição Padrão do game:

  • 2010 Red Bull RB6
  • 2010 Ferrari F10
  • 2010 McLaren MP4-25
  • 2009 Brawn BGP 001
  • 2008 McLaren MP4 –23
  • 2007 Ferrari F2007
  • 2006 Renault R26
  • 2004 Ferrari F2004
  • 2003 Williams FW25
  • 1998 McLaren MP4-13
  • 1996 Williams FW18
  • 1992 Williams FW14
  • 1991 McLaren MP4/6
  • 1990 Ferrari 641
  • 1990 McLaren MP4/5B
  • 1988 McLaren MP4/4

A edição especial, intitulada F1 2020 Deluxe Shumacher Edition traz mais 04 carros, que foram pilotados pelo lendário Michael Shumacher:

  • 1991: Jordan 191
  • 1994: Benetton B194
  • 1995: Benetton B195
  • 2000: Ferrari F1-2000

VALE A PENA?

Com gráficos convincentes e um rico sistema de customização de jogabilidade, F1 2020 não traz uma revolução em relação aos games anteriores da franquia, trata-se de uma evolução natural, afetada pelo limite da geração de consoles atuais.

O modo Minha Equipe foi um belíssimo acréscimo, permitindo escolhas gerenciais que vão interferir diretamente no desempenho de seus carros na pista.

Assim, F1 2020 é um alento para os fãs de automobilismo neste ano tão triste, transportando para os games toda a emoção e velocidade em todos os circuitos do campeonato, que infelizmente não ocorrerá em importantes locais do mundo.

Este review foi produzido por meio de uma cópia de Xbox One gentilmente cedida pela assessoria de imprensa da Deep Silver no Brasil.

Veredito

F1 2020

  • Lançamento: 10 / 07 / 2020
  • Desenvolvedora: Codemasters
  • Publicadora: Capcom
  • Plataformas: PS4, Xbox One e PC
  • Genêro: Corrida
Gustavo Vegas
Últimos posts por Gustavo Vegas (exibir todos)