AnálisesTextos

Análise: Mega Man Zero/ZX Legacy Collection

Já faz um tempo que a Capcom vem apostando em coletâneas de jogos antigos, aproveitando o seu grande leque de franquias, fazendo da nostalgia um bom negócio.

A franquia Mega Man é a mais privilegiada com essas coletâneas. Em 2015 veio o Mega Man Legacy Collection, trazendo os seis primeiros games da franquia. Já em 2017 foi lançado o volume 2 de Mega Man Legacy Collection, com os jogos de 07 a 10.

No ano de 2018 foi a vez da série Mega Man X ganhar suas coletâneas. A Mega Man X Legacy Collection, contendo os jogos de 01 a 04 da série, e Mega Man Legacy Collection 2, com os jogos de 05 a 08 (clique aqui para ver a análise do Multitap).

Tais lançamentos são muito importantes para o mundo dos games. Mega Man é uma franquia icônica que marcou época, merece ser lembrada e eternizada com o devido cuidado e respeito. As coletâneas democratizam o acesso, facilitando que os novos gamers, que não viveram à época do lançamento original, possam conhecer a franquia, bem como os antigos gamers poderão lembrar com carinho dessa época.

MEGA MAN ZERO/ZX

A Capcom resolveu trazer mais uma coleção de Mega Man, desta vez contendo games das séries Mega Man Zero e Mega Man ZX. Os jogos dessas séries saíram apenas para os consoles portáteis da Nintendo (Mega Man Zero de 01 a 04 que saiu para Game Boy Advance, e Mega Man ZX e ZX Advent que saiu para Nintendo DS). Muitos gamers talvez não conheçam essas séries, então essa é uma grande oportunidade para esse público.
Assim como a coletânea do Mega Man X, aqui temos a possibilidade de escolher a versão de qual país você quer jogar. Aliás, aqui há uma informação interessante, caso você não saiba, no Japão o Mega Man é Rock Man. Desta forma, nos 06 jogos da coletânea, é possível escolher se quer jogar as versões americanas (Mega Man), ou as versões japonesas (Rock Man). Nos jogos da série ZX também há opções de versões lançadas em alguns países da Europa.

CONTEÚDO EXTRA PARA OS FÃS

O grande atrativo neste tipo de coletânea é inclusão de extras, que permitem ao jogador ter acesso a conteúdos off game que não existiam nos jogos originais. Assim, além dos seis jogos, a coletânea traz uma seção de Galeria, contendo ilustrações e artes conceituais e um player com todas a músicas dos jogos. Há também um seção de cartões colecionáveis, que são desbloqueados conforme você realiza atividades nos jogos.

NOVO MODO DE JOGO

A Capcom decidiu por não repetir o modo de jogo que tinha estreado nas coletâneas de Mega Man X, o X Challenge, que consiste em uma espécie de batalha direta contra 2 chefes ao mesmo tempo. Na nova coletânea temos a inclusão do Z Chaser: é como um time attack, sendo que determinados estágios precisam ser concluídos no menor tempo possível, incluído o boss fight. Pode ser jogado com um amigo, localmente, ou contra um adversário “fantasma”, sendo que a tela pode ficar dividida para que você possa acompanhar o andamento de cada um.

JOGO DIFÍCIL

Todos os jogos da série Mega Man são famosos por dificuldade elevada, e com Mega Man Zero/ZX Collection não é diferente. Para tornar o jogo mais atrativo para o público mais novo, que não está acostumado com o dificuldade dos jogos antigos, ou para pessoas sem muita habilidade, foi criado o modo Casual Scenario. Neste modo, você já começa com todos os equipamentos maximizados e as quedas em espinhos e buracos não causam a mortes imediatas. Mas tudo isso tem um preço, neste modo de jogo você não desbloqueará as conquistas de zerar os jogos.

Há outra adição que fizeram para facilitar o jogo. Trata-se do Save-Assist, que funciona como verdadeiros checkpoints. Tal função não existia nos jogos originais, e são uma mão na roda, já que todos estamos acostumados com essa facilidade nos jogos modernos. Se você é jogador raiz da série, pode optar por desabilitar isso no menu de jogo.

JOGABILIDADE

Dois aspectos da jogabilidade merecem ser comentados. O primeiro deles é sobre a disposição dos controles dos jogos da série Zero: eles foram originalmente lançados para o Game Boy Advance. Tal console possuía o seguinte layout de botões: B e A na face do console, e L e R como botões de ombro. Desta forma, aqui na coletânea, mantiveram o layout original do jogo. Botões X e Y ficam inativos, e você não tem a opção de alterar isto no jogo. Então você precisa se acostumar com uma jogabilidade meio torta para os dias de hoje.

O segundo aspecto diz respeito aos games da série ZX: originalmente foram lançados para o Nintendo DS. Este console se destacou por ter duas telas, sendo uma delas para o jogo em si, e a outra era utilizada para mapas, inventários, etc., de modo que o jogador tinha acesso sem precisar pausar o jogo ou mudar de tela. Nos jogos da coletânea, essa segunda tela também foi colocada de forma emulada, sendo que o jogador tem a opção de até 07 layouts, escolhendo onde ela ficará. O direcional analógico direito é utilizado para mover o cursor da segunda tela.

VALE A PENA?

A coletânea agradará principalmente aqueles que já eram fãs das séries Zero e ZX, sem dúvida. Mas, também é a oportunidade de quem não pode desfrutar dos games por não possuir as plataformas à época em que foram lançadas, e para aqueles que ou não eram nascidos ou que não ligavam para games.

A Capcom está de parabéns, ao resgatar todo o legado histórico da franquia Mega Man, a ponto de que quase todos os jogos da franquia e de suas derivadas estarem disponíveis para as plataformas atuais.

Mega Man Zero/ZX Legacy Collection está disponível para Xbox One, PlayStation 4, PC e Nintendo Switch.

Este review foi produzido por meio de uma cópia de Xbox One gentilmente cedida pela assessoria de imprensa da Capcom no Brasil.

Mega Man Zero/ZX Legacy Collection

  • Lançamento: 25/02/2020 
  • Desenvolvedora: Capcom
  • Publicadora: Capcom
  • Plataformas: PlayStation 4, Xbox One, PC e Nintendo Switch
  • Genêro: Ação/Aventura
Gustavo Vegas
Últimos posts por Gustavo Vegas (exibir todos)